Líderes devem estar atentos a tecnologias que atravessarão desde a experiência do consumidor como a eficiência das operações

O mercado de tecnologia tem crescido a passos largos. No cenário corporativo, o avanço da transformação digital tem tido um papel fundamental na competitividade das empresas. Mas quais são as tendências tecnológicas que devem orientar as organizações que buscam se digitalizar e ampliar a inovação neste ano? Há algumas que líderes de tecnologia devem colocar no radar. Confira abaixo.

LGPD

As iniciativas de regulação da proteção de dados pessoais consolidadas na Europa e EUA já estão virando realidade no Brasil através da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD, Lei 13.709/2018). A partir deste ano, a capacidade de cada instituição de proteger e fazer um bom uso destas informações, em conformidade com a lei, passará a ser encarada como um fator de competitividade, pois a publicidade aos eventos de vazamento e comprometimento de dados poderá ser ainda mais danosa do que as previsões legais de penalização.

Hospital digital

Com aumento do volume de informações, da população e do uso cada vez maior de sistemas para registro eletrônico na área da saúde, tornou-se irreversível a necessidade da eliminação do papel (com amparo legal) apoiada na utilização de soluções de assinatura eletrônica ou digital. A adoção do conceito paperless torna-se um ponto imprescindível na jornada da transformação digital, já que reduz o volume de documentos a serem impressos, geridos e armazenados, principalmente no que tange aos documentos assistenciais que devem ser armazenados fisicamente por 20 anos após a impressão e assinatura manual.

Hyperautomation

O Hyperautomation utiliza tecnologias avançadas como inteligência artificial (IA) e machine learning (ML) para aumentar a automação de processos e entregar aos colaboradores mais ferramentas para auxiliar a capacidade humana de produzir. Este recurso possibilita que os processos automatizados executados repetidamente produzam informações que podem ser utilizadas pela IA para apresentar aos usuários insights para melhorar os processos, dar eficiência e identificar potenciais falhas. O Hyperautomation está no campo das tecnologias voltadas para iniciativas “People- Centric “, que tem por objetivo reter talentos por meio da melhor experiência de uso das tecnologias dentro e fora do trabalho. Um ativo cada vez mais estratégico.

Multiexperiência

Sob a ótica da iniciativa de “People-Centric”, o conceito de multiexperiência permitirá as organizações melhorar a experiência de seus colaboradores por meio de interações mais eficientes. A multiexperiência está relacionada a forma como as pessoas percebem, interagem e lidam com o universo digital nos diferentes dispositivos, que tendem a ser cada vez mais multissensoriais e multitoque.

A tendência de multiexperiência promove experiências imersivas para o cliente por meio de tecnologias como Realidade Aumentada (RA), Realidade Virtual (RV), Realidade Mista (RM), além de interfaces omnichannel.

Fonte: CIO