Líderes precisam se adaptar rapidamente às mudanças para manter o bom funcionamento das empresas em novo contexto de trabalho remoto

O home office se tornou uma realidade para mais de 70% dos brasileiros. Entretanto, a sua adoção emergencial como medida de contenção do corona vírus não faz do home office a prática ideal para grande parte dos colaboradores.

Além dos desafios individuais e domésticos para adaptar a casa para o trabalho remoto, há ainda a equação da liderança que precisa ser resolvida. Afinal, como um líder deve agir durante a crise? Coordenar equipes numa pandemia exige adaptações em relação às práticas habituais. Ao mesmo tempo, este momento pode ser a oportunidade para os gestores se reinventarem e criarem dinâmicas de trabalho mais eficientes para suas equipes.

Comunicação

É importante manter diálogo constante com a equipe, mesmo que virtual. Uma comunicação clara é fundamental para que os líderes possam reconhecer necessidades e dificuldades. Sem isso, fica difícil dar o necessário para que a equipe entregue bons resultados.

Compartilhar

Dividir os erros e acertos, sempre com clareza do que seriam as melhores práticas é indispensável para o alinhamento da equipe frente aos desafios. Investir em estabelecer e ampliar essas conexões faz toda a diferença.

Cooperar

Operar em conjunto em prol de um resultado comum é o que motiva e impulsiona colaboradores. Criar equipes multidisciplinares para diferentes tarefas pode ser uma ótima ideia neste novo cenário. Testando novos formatos conseguimos novos insights e resultados melhores.

Confiança

É imprescindível entender como as pessoas operam. Confiança e clareza de todos os lados são necessárias para um fluxo de trabalho transparente e realmente efetivo.

Cumplicidade

É o estágio avançado da confiança. Construir o sentimento de equipe e a responsabilidade do grupo é o cenário ideal para um trabalho bem alinhado e resultados mais eficazes.

Como o futuro é imprevisível, o ideal é que os líderes saibam usar este momento para aproveitar as oportunidades que este novo formato de trabalho pode trazer.

Fonte: CIO