Quando o assunto é segurança cibernética, as empresas que estão passando por seus processos de transformação digital estão mais suscetíveis. O “Relatório de Risco Cibernético: Hoje e Amanhã” abordou oito principais riscos a empresas de todos os tamanhos em diferentes estágios da transformação digital.

Na lista abaixo, os oito riscos a empresas:

Tecnologia: com a transformação digital de empresas, há o incremento de riscos cibernéticos, novos e imprevistos. O futuro é digital e há que se preparar para essa nova forma de fazer negócios.

Cadeia de fornecimento: muitas vezes, empresas pensam em seus próprios riscos cibernéticos, mas esquece a cadeia de fornecimento. Cada vez mais complexas e globais, elas podem ser um elo fraco na segurança da informação.

Internet das Coisas: além dos inúmeros benefícios, há riscos iminentes. O tipo de ataque que antes ocorria “somente” em computadores, tablets e smartphones agora pode acontecer na sua geladeira, por exemplo.

Operações comerciais: sistemas de controle operacional, como cadeia de logística e suprimentos, também apresentam possibilidades de risco. Hoje cada vez mais esses procedimentos estão sendo automatizados e um ataque pode causar paralisação total ou parcial da empresa.

Funcionários: seja por falta de conhecimento, na maioria dos casos, ou até mesmo por ações mal-intencionadas, funcionários acabam sendo um dos elos mais fracos além de uma das principais causas de violações de segurança.

Fusões e aquisições: em um momento de fusão e aquisição a empresa que está adquirindo a outra acaba por herdar suas vulnerabilidades, questão que muitas vezes não é levada em consideração. Ela pode, inclusive, baixar o valor de mercado dessas aquisições.

Regulamentação: cada vez sendo mais e mais adotada em todos os países do mundo, a regulamentação de segurança cibernética e proteção de dados se tornou geral. Ela é uma grande aliada das empresas, porém traz questões como sobreposições de leis em companhias globais, que precisam seguir diferentes regulamentações, além de, em alguns casos, ser fomentada pela burocracia em vez das melhores práticas.

Directors and Officers (D&O): diretores, gerentes e alto escalão em geral são cada dia mais implicados em casos de violações de dados e a responsabilidade em supervisionar a segurança cibernética se tornou uma de suas atribuições.

Fonte: CIO