A mudança sempre foi uma constante para quem trabalha com tecnologia. A verdade, porém, é que essa volatilidade se tornou ainda mais perceptível e clara nos últimos anos, com a ascensão dos negócios digitais. Nesse cenário de transformação contínua, o Gartner alerta os líderes de infraestrutura e operações de TI (I&O) para a necessidade de uma escolha fundamental: continuar sendo construtores e gerentes de funções de Data Center ou evoluir suas especialidades, assumindo a posição estratégica de líder e parceiro confiável na jornada de digitalização dos negócios das empresas.

Segundo Mike Chuba, Vice-Presidente de Pesquisa e Analista do Gartner, a primeira opção coloca o profissional em risco de obsolescência, à medida que as organizações aprendem a progredir sem as equipes de TI; o segundo caminho levaria os líderes a uma existência colaborativa e mutuamente benéfica baseada em objetivos compartilhados.

“Para se prepararem para essa nova realidade e os desafios que a acompanham, os profissionais devem agir rapidamente para criar uma infraestrutura empresarial que seja ultra ágil, escalável e responsiva às mudanças”, diz Chuba.

De acordo com uma pesquisa do Gartner, os quatro desafios principais para a adoção dessa visão estratégica colaborativa são:

Desenvolver uma estratégia de Computação em Nuvem Privada, Pública e Híbrida

Líderes precisam obter o equilíbrio certo ao usar a computação em nuvem para ajudar a empresa a transformar, diferenciar e obter uma vantagem competitiva. Ao mesmo tempo, devem cuidar de cargas de trabalho críticas. Fazer as duas coisas é uma tarefa difícil, mas fundamental.

O Gartner sugere que os líderes criem uma estratégia de cloud híbrida proativa, desenvolvendo um conjunto de estruturas e processos capaz de avaliar e acompanhar as oportunidades para o ambiente de cloud, com base nas necessidades de negócios e de carga de trabalho.

Encontrar e reter talentos de TI

Encontrar e manter pessoas qualificadas dentro do time de TI está sendo mais difícil do que nunca porque a força de trabalho se tornou mais diversificada, global, fragmentada e remota. A natureza do trabalho do Data Center é, agora, mais colaborativa, multifuncional e digital. Da mesma forma, o ritmo da mudança acelerou, encurtando o horizonte de tempo que as empresas necessitam para ajustar e responder aos requisitos de negócios.

Diante desse desafio, os líderes de infraestrutura devem desenvolver e reter pessoal com ações como oferecer experiências de trabalho recompensadoras, promover uma cultura de aprendizagem contínua, capacitar os funcionários para serem proprietários de suas carreiras e orientá-los sobre como se tornarem mais versáteis, e fornecer carreiras bem definidas e que ofereçam uma variedade de tarefas desafiadoras.

Modernizar ou aposentar aplicativos legados

Aplicações valiosas, mas baseadas em plataformas de computação antigas, escassez de profissionais e a aposentadoria contínua de baby boomers são alguns dos desafios constantes dos líderes de Infraestrutura. O Gartner acredita, porém, que as mudanças atuais exigem uma ação decisiva. As decisões de modernização da estrutura legada devem ser feitas agora.

“As empresas têm que avaliar suas opções de modernização com base nos desafios da retenção de funcionários, no valor comercial das cargas de trabalho afetadas e no custo e no esforço da migração dos dados”, diz Chuba.

Alinhar a infraestrutura de TI aos resultados de negócios

Os líderes de infraestrutura de TI geralmente acham que estão constantemente em modo de recuperação porque é difícil quantificar as contribuições de TI com a eficiência e a rentabilidade dos negócios.

Além disso, os orçamentos normalmente não crescem de acordo com as oportunidades à disposição das organizações. Por isso, o Gartner recomenda que os gerentes e executivos da área vinculem os sucessos de seus Data Center aos sucessos da empresa, identificando os sistemas, serviços ou aplicativos que têm o impacto mais direto na missão ou na receita da empresa. Os líderes devem, ainda, posicionar-se como prestadores de serviços melhores, entendendo corretamente como os parceiros de negócios querem e precisam de ajuda.

Fonte: CIO